Morocco Desert Challenge 2019

Vala coloca ponto final na aventura marroquina de Paulo Ferreira

Piloto de Leiria optou por não fazer a derradeira etapa do MDC

Depois de sete etapas extremamente bem disputadas e onde rolou sempre entre os mais rápidos do Morocco Desert Challenge, uma abordagem menos conseguida a uma mais muitas valas existentes nas pistas marroquinas ditou o adeus de Paulo Ferreira a esta grande maratona que partiu de Agadir no passado dia 13 e tem o seu final agendado para amanhã em Saïdia, após terem sido percorridos cerca de 2741 quilómetros.

Aos comandos da Toyota Hilux impecavelmente preparada pela MRacing e navegado de forma muito rigorosa por Jorge Monteiro, piloto de Leiria disputava hoje a sétima e penúltima etapa do MDC 2019 entre Merzouga e Bouarfa que compreendia uma especial cronometrada com 427 km e em que estava reservada uma derradeira passagem pelas dunas marroquinas, cumprida sem qualquer erro. A etapa começou com a travessia das dunas mais altas de Marrocos, o Erg Chebbi seguida por outra seção de dunas no Erg Znaigui e da qual a equipa saiu com o quarto melhor tempo. Foi já a cerca de uma centena de quilómetros do final que ocorreu o incidente.

“Estava a ser mais uma etapa excelente. Depois do contratempo de ontem partimos com uma enorme vontade de usufruir desta excelente etapa e estava tudo impecável. A máquina estava magnifica como sempre – um agradecimento muito especial aos nossos mecânicos que deram sempre o seu melhor para termos a Toyota nas melhores condições à partida de cada etapa – o Jorge faz um trabalho excelente na navegação e eu tive a oportunidade de tirar o máximo de prazer desta prova maravilhosa. Infelizmente já na parte final da etapa cometi um erro e batemos forte numa vala. Ainda conseguimos trazer o carro até ao fim mas, avaliados os estragos e tudo o que há a fazer, tomámos a opção de ficar por aqui”, salienta Paulo Rui Ferreira que acrescenta: “A última etapa não acrescenta muito ao rali e não justifica estar a fazer um trabalho de recuperação que será muito melhor feito na oficina em Portugal. Como sempre disse o meu propósito ao participar nesta prova é divertir-me, competindo a um nível muito elevado contra adversários muito fortes e num rali que nos oferece uma excelente prova e magnificas condições de participação. O balanço é por isso muito positivo e seguramente irei voltar. Agradeço a todos os que colaboraram nesta nossa participação”.

Fonte: 
A2 Comunicação (Pedro Barreiros)